Empréstimo para empresas – Micro ou pequenos empreendedores


A busca de um empréstimo para empresas ou financiamento por um empreendedor poderá refletir num avanço para o aumento de seu negócio ou a manutenção do fluxo de caixa preciso numa emergência, para quitar seus fornecedores ou até mesmo dívidas pendentes.

O empréstimo para empresas podem ser utilizado em muitas finalidades dentro da empresa. As taxas de juros são muito diversificadas e podem ser pré-fixadas com parcelas mensais. No caso da Caixa Econômica Federal, que disponibiliza o empréstimo empresarial com limite mínimo de até R$3 mil com pagamento parcelado em um período de 3 a 24 meses.

Porém, não fique pensando que é tão simples conseguir um empréstimo empresarial para micro e pequena empresa no Brasil, há muitos obstáculos por trás. Uma pesquisa feita pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), apontou que durante os 5 primeiros anos de existência, 36% das MPEs buscam empréstimos bancários.

De todas as MPEs que solicitaram créditos aos bancos neste mesmo ano de pesquisa, 27% não tiveram êxito. Então quais seriam os motivos principais que ocasionaram a não aprovação de crédito às Micro e Pequenas Empresas? Esses obstáculos são decorrentes por haver registro em algum órgão de proteção ao crédito (SPC ou Serasa), ou a projetos de viabilidade comprometida. Fora isso, outros motivos esta no caso da empresa ser muito recente ou com faturamento iniciante, razões que o banco considera de risco para o empréstimo a empresas.

Empréstimo para empresas – Micro ou pequenos empreendedores

Diante disso, as Micro e Pequenas Empresas procuram outras condições informais de crédito, por exemplo, o pagamento a prazo aos seus fornecedores, o cheque pré-datado, o pagamento com o cartão de crédito, ou ate mesmo o meio de solicitar dinheiro a agiotas, pagando juros excessivos. Inclusive empréstimo de amigos e familiares costuma ser usado.

Ainda que essas alternativas ajudem desafogar o empresário em algumas situações, pode não ser a mais cabível. O cartão de crédito, por exemplo, tem juros elevadíssimos quando não é pago no vencimento e isso poderá prejudicar todas as contas da empresa.

O empreendedor precisa realizar uma estratégia para a finalidade dos recursos do crédito. É importante saber se esses recursos são para o capital de giro ou capital de risco. É possível obter auxilio dos bancos públicos e é necessário saber sobre os meios burocráticos que abrange a autorização do empréstimo para empresas.

Se o microempreendedor quer se esquivar dos processos burocráticos, a direção é procurar o microcrédito, para obter financiamento para sua empresa. Essa é uma ótima escolha para as pequenas e microempresas que ainda são informais. Esse método de empréstimo para empresas é disponibilizado por órgãos públicos, grupos sem fins lucrativos e ate organizações não governamentais.

O microcrédito lida com valores que oscilam de R$200 a R$10 mil. Os juros dessa categoria são limitados, normalmente, a 12% ao ano, uma taxa menos do que aquela cobrada por outros tipos de financiamento. Outras taxas poderão ser inclusas na negociação e o empresário tem que estar esperto quanto a isso.

As condições para o microcrédito mudam de acordo com a agência financiadora. Então, a condição mais importante para conseguir o crédito é a de que o empreendedor não tenha restrição aberto em órgãos públicos de proteção ao crédito como SPC e Serasa. Tal que, é preciso ter residência na cidade onde será liberado o crédito. Também é possível que um fiador esteja envolvido na negociação, como precaução.

Tanto as instituições públicas como privadas disponibilizam opções de financiamento para micro e pequenas empresas.

Como optar pelo melhor empréstimo para empresas
Empréstimo para empresas – Micro ou pequenos empreendedores

Na há um método de decidir qual é o melhor empréstimo para cada empreendedor, mas tem algumas instruções que podem ser absorvidas no momento de escolher essa modalidade.

É necessário entender que o empréstimo tem que ser usado como uma opção para quando a empresa não tem mais nenhum recurso e vai precisar deles para se mantiver em andamento ou possa realizar uma ampliação. Nessa situação o empréstimo não pode ser realizado apenas para assegurar que tenha dinheiro em caixa, mas tem que fazer parte de uma tática organizacional.

A escolha da instituição financeira que irá realizar o crédito empresarial é muito relevante, pois ela terá que ter uma autorização do Banco Central para fornecer essa modalidade de serviço, possuindo mais uma garantia de que a empresa é confiável.

As taxas de juros e outras que podem existir devem ser avaliadas com precaução, umas tendem a ser abusivas e fazer com que a sua dívida aumente de forma assustadora. É necessário que elas sejam analisadas e avaliadas o CET (Custo Efetivo Total), assim o risco de se atrapalhar com ela é menor.

E para concluir, está ai uma dica muito importante: optam por parcelas que não saiam do orçamento da empresa. De nada convêm realizar um empréstimo para empresas com taxas menores se não conseguirá arcar nos prazos definidos, visto como consequência mais dividas em atraso e com taxas que não param de aumentar.



Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *